Informações não pedidas e tão pouco necessárias

quinta-feira, 9 de maio de 2013

The witch is not dead but hey! Almost there!

The witch is old
The witch is wicked
And don't think he's gone
He's just over there
Waiting

Even old
even gone
the witch will be there
because evil never sleeps
never goes away
just makes you think that

The witch over there
makes you believe he isn't there
but he is
and he will always be
until he dies
and go to meet his oldest friend
the Devil himself.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Pelo amor de Deus, Hazel Grace!

Então, esses dias terminei A culpa é das estrelas, do John Green. Muito bom. E mal posso expressar meu alívio pela parte em que o Peter Van Houten se recusa a dizer o que acontece com os personagens em Uma aflição imperial. PELO AMOR DE DEUS, HAZEL GRACE!
O que acontece quando o livro termina? Sério? Quando o livro termina, acaba. Não tem razão perguntas do tipo 'o que acontece depois?'. Você pode imaginar, passar horas pensando no que poderia ter acontecido... mas exigir do escritor a resposta? Queria que ela morresse ali mesmo. Amei a resposta do Van Houten, mesmo ele tendo sido demasiadamente chato.
Imagine só eu exigindo do John Green o que acontece com você depois do fim do livro, Hazel Grace! 
Usem a imaginação, não é tão difícil, quer ver:

Um menino entra em uma loja de antiguidades e pede pelo mais antigo livro da loja. A dona lhe entrega e ele abre o livro na página 227 e coloca um fio de cabelo. Fecha o livro, devolve-o e vai embora sem dizer uma palavra. Olha para o lado e diz: 'feito', com um sorriso.

Por que ele fez isso?
Para quem ele falou 'feito'?
Por que o livro tinha que ser o mais antigo?
O que estava feito?
E por que ele sorriu?

A melhor história criada ganha um post especial no blog. E, lógico, nunca vou contar a minha versão da história. NÃO PERGUNTEM!

P. S. Eu adoro o nome Hazel Grace, por isso tanta repetição, não que eu deva alguma satisfação a você, claro.

Por quanto tempo os semáforos funcionariam se todas as pessoas tivessem um cérebro ativo?


Em primeiro lugar, o mais importante: VAI TOMAR NO MEIO DO SEU CU!
Mais uma vez o amor pelo futebol foi colocado na conta da "falta de inteligência".

"Nossa, mas você parece tão inteligente e gosta de futebol?"

Sim, eu amo! E não consigo entender onde minha inteligência é diminuída por isso.

"Desliga o futebol e vá ler um livro!"

Amiga, DUVIDO que você tenha lido na vida o que li em um ano, MESMO eu acompanhando 7 campeonatos de futebol diferentes, mais baseball.
E quer saber, acho que sou muito mais inteligente que você, afinal, consigo apreciar algo que tem a beleza da arte, a corrupção da política e os preconceitos da sociedade, coisa que você não consegue. Sem contar que eu não fico cuidando da vida dos outros, chamando eles de burro e julgando as escolhas das outras pessoas.
Ah! E o sentimento de acompanhar um time, sofrer com ele, vê-lo ser campeão, é um sentimento único, só experienciado por alguém que acompanhe um tipo de esporte - eu, particularmente, acho esse sentimento mais forte no futebol, claro, mesmo acompanhando outros esportes. Você se sente superior, mas quem perde é você.
Todos vocês sabem que não tenho nada contra quem não gosta de futebol, eu respeito. Mas aparentemente pedir respeito pelo meu gosto é pedir demais para alguém de tão pouca inteligência.