Informações não pedidas e tão pouco necessárias

terça-feira, 18 de outubro de 2011

terça-feira, 11 de outubro de 2011

And here we go again

De um jeito ou de outro eu to sempre me repetindo. O tempo todo. Não que isso me incomode.
Eu sei que 99% das pessoas que convivem comigo, seja pessoalmente ou virtualmente, me odeiam. Talvez não odeiem, mas me achem idiota, chata, insuportável e etc. Eu sei disso. E sei também que a maioria pensa "vixi, lá vem a Mirane de novo" toda vez que eu escrevo alguma coisa, seja aqui, no twitter, no facebook, em qualquer lugar. Aquela coisa tipo "ela só sabe falar de futebol" ou "ela se acha grande merda por [insira qualquer coisa aqui, as pessoas me surpreendem com o que elas acham ser motivo para se achar grande merda]". Bem, eu só me acho grande merda por um motivo: eu assisti um jogo do Liverpool no Anfield e eu tenho autógrafos da maioria dos meus meninos, então, sim, eu sou uma merda e tanto, morram de inveja. O fato a ser considerado aqui é: como é que vocês acham que eu me sinto tendo que conviver comigo o tempo todo? Até hoje não consegui nem imaginar o que eu possa ter feito pra me merecer. Imagine se você que não me suporta nem por 1 hora ou alguns tweets tivesse que conviver comigo. ALL. THE. TIME. É óbvio que por não me suportar você deve achar é pouco que eu tenha que conviver comigo. Mas eu não me aguento mais.
Engraçado isso. Tem eu e eu. Duas insuportáveis e uma não suporta a outra e eu tenho que aguentar as duas. Ops! Mais uma!
Queria brincar de esquecer, mas aparentemente eu só esqueço as coisas que não quero. Mal consigo lembrar o nome dos sete faróis de Gondor e só consigo lembrar o nome dos filhos de Fëanor com alguma dificuldade.
Será que alguém nesse mundo consegue me entender?
Sabe, por mim eu passaria a vida escrevendo, mas toda vez que eu começo a escrever alguma coisa aqui tudo parece tão idiota. Ninguém liga para o que eu estou falando. As palavras já não significam nada e tudo o que eu consigo ver depois que eu escrevo é um monte de frases prontas. Mas essa não é a minha intenção, usar frases e conceitos prontos. Minha intenção é dizer o que eu to sentindo, é querer que alguém leia isso e entenda, de verdade, não do tipo "uh, Mirane atualizou o blog, deixa eu ler... *lê sem nem prestar atenção e parar pra pensar o que pode estar fazendo com que eu me sinta esse lixo* ah tá, mesma ladainha de sempre, ok".
Preciso de alguém pra conversar. Alguém que preste atenção. Alguém que entenda. Alguém que mesmo que não concorde comigo consiga ver que eu realmente acho que nada nesse mundo tem nenhum sentido ou valor ou importância. As pessoas são idiotas e eu me junto a elas. As coisas pelas quais eu morreria atualmente são vistas pela maioria como algo que mal se vale a pena pensar, mas como eu não dou a mínima pra maioria e nem pra ninguém, eu não ligo. Mas me incomoda o fato de ver algumas pessoas fingindo se importar com coisas que deveriam ser importantes, mas não são de verdade.
A gente complicou tanto o mundo e tudo. Desde o começo, seja ele qual for, a gente bagunçou tudo, inverteu tudo. E eu to tão perdida agora. Preferia a época em que a morte era vista como solução, embora ainda seja uma ótima opção, claro.
Ainda bem que existe futebol.

domingo, 9 de outubro de 2011

Mestre Samwise

Então... estou lendo The Lord pela primeira vez em inglês, na minha edição linda. E óbvio que eu teria um milhão de coisas pra falar sobre ele... *-* Mas eu vim aqui hoje só porque, pra variar, o Tolkien sempre sabe expressar aquilo que a gente quer dizer e não consegue e nas sábias palavras do Professor eu consegui encontrar mais ou menos o que eu queria dizer que senti no dia 27 de agosto de 2011, no Anfield.

"Sam could never describe in words, nor picture clearly to himself, what he felt or thought that night, though it remained in his memory as one of the chief events of his life. The nearest he ever got was to say: 'Well, sir, if I could grow apples like that, I would call myself a gardener. But it was the singing that went to my heart, if you know what I mean.' " The Lord of the Rings.

Perfeito? Imagina... *-*