Informações não pedidas e tão pouco necessárias

domingo, 14 de dezembro de 2014

But you are really just a little fellow in a wide world after all

Eu de novo. Por quê? Porque fui assistir de novo (quinta vez) e lembrei de outras coisas para falar.
Aparentemente o Bombur tem uma fala nesse filme. Eu tentei prestar o máximo de atenção dessa vez e parece que é realmente ele quem fala 'you're alive' pro Bofur. Mas posso estar enganada...
Outra coisa que prestei atenção dessa vez e confirmei, sem sombra de dúvida, é que a Galadriel está com a Luz de Eärendil na mão (além do Nenya) quando vira o trem contra o Sauron.
Percebi vários errinhos, mas esses eu não vou comentar para não estragar a graça de ninguém.
Vale lembrar também como é legal o jeito que o Legolas devolve Orcrist pro Thorin. E como o Bofur é ligado ao Bombur, sempre ao lado dele. Quando chega na montanha é o primeiro nome que grita e o abraço dos dois é lindo. E como eu amo cada um desses anões. Quando eu li (e reli) O Hobbit eu não via nada demais nos anões. Gostava bastante do Balin, mas era só. Com os filmes eu passei a gostar também do Bofur e do Thorin. Mas depois de rever os dois primeiros essa semana e o terceiro depois eu percebi que amo cada um deles um montãozão de monte. Todos eles. Até o Bifur que é meio quieto e doido. O Balin só me fez amá-lo ainda mais. E o trio Dori-Nori-Ori, que antes eu achava meio sem graça, agora já são especiais, como todos os outros.
Como eu vou viver sem esse filme no cinema?

"Why does it hurt so much?"

É... O Hobbit estreou, eu já assisti quatro vezes (nossa! pois é) e eu quero fazer alguns comentários, mas não sei o que dizer.
Primeiro, vamos assoprar velinhas pelo aniversário do blog que foi dia 10, mas eu tava tão ocupada surtando que nem lembrei. Feliz aniversário, bebê.
Agora vamos lá... bem... devo dizer que, pensando em conjunto, essa foi, provavelmente, a segunda época da minha vida em que mais chorei. Foram vários dias por vários meses, várias vezes por dia. Dia 10 então... nem comento.
E então chegou.
Não gostei da abertura (a parte em que aparece o símbolo da Warner e da New Line). A do An Expected Journey é perfeito demais pra ser igualado. Sem comentar os do The Lord, que são maravilhosos.
Aí começa o filme de verdade e eu realmente gostei do fato de o Smaug ter morrido antes mesmo de aparecer o título. Não que eu quisesse que ele morresse, não... mas já que tinha que morrer...
No começo eu não tinha gostado muito do subtítulo que o PJ escolheu. There and Back Again era perfeito! Mas quando apareceu lá na tela 'A Batalha dos Cinco Exércitos' (mesmo em português) foi tão lindo que eu deixei essa implicância de lado.
Outra implicância que deixei de lado foi o romance entre o Kili e a Tauriel (até minha implicância com a Evangeline Lilly sumiu um pouco). Quando re-assisti o DOS já simpatizei mais. Ela realmente parece gostar dele... foi fofo.
Mas não gostei nem um pouco da transformação da Galadriel. Se o PJ queria fazer aquele negócio de mostrar o verdadeiro 'eu' dela, como ela é no Oeste, ele deveria ter feito com que ela parecesse mais imponente e brilhante como a luz de Telperion, não uma mendiga trapenta com cara de diabo. E a sequência toda é incoerente. Não vou mais comentar o fato de a colocarem como mais poderosa que os Maiar. Eu até engulo a desculpa que eles na Terra-média não têm o poder de Valinor e tal, mas ainda assim... o meu ponto é: o Gandalf tá apanhando de um orc qualquer (?), aí chega a Galadriel (uma elfa) e salva o Gandalf (um Maia) e o carrega no colo. Aí aparece os Espectros do Anel (que são homens) e ela fica morrendo de medo e começa a enfraquecer (?). Depois aparece o Sauron (um Maia) e ela vira o cão??? Na lógica do PJ é: homens > elfos > Maiar. Nem comento. Mas um bônus dessa parte foi o Elrond. Gente! Como ele tá foda e fofo e foda de novo e todo bonito e poderoso... ai ai.
Aquele Alfrid é completamente desnecessário e insuportável.
Mesmo com várias modificações, eu gostei do jeito que as coisas foram feitas, no geral. Quase enfartei quando achei que não ia ter "The eagles. The eagles are coming." Aí teve... mas foi meio xoxo. O Dáin foi muito bem feito e ele chamando o Thranduil de fadinha da floresta foi, definitivamente, um dos (vários) melhores momentos do filme. 
O Bard é magnífico.
Os minhocões foram realmente estranhos, mas dou um desconto...
Gundabad. Nunca imaginei que veria Gundabad. Foi tão lindo. E o jeito que o PJ colocou que o plano do Sauron era reerguer Angmar - e por isso querer tomar a montanha (já que isso, a princípio, não é o motivo do ataque no livro) - foi muito legal. Eu amo Angmar. E seria um bom plano por parte do Sauron.
O Thorin 'enlouquecido' ficou legal também. A reação dos anões a isso também ficou interessante. A cena em que ele tá lá no ouro derretido solidificado e vê o Smaug nadando por baixo é incrível.
Bilbo, sempre perfeito. O Martin Freeman fez um trabalho espetacular. A parte final dele com o Thorin é... wordless. E a despedida dos anões? Ai, meu coração. E a cena final ser... aquela. Tão perfeita. Quando fiquei sabendo que não terminava como no livro fiquei brava porque amo aquele final, mas quando vi como ficou. Good call PJ. E o Thranduil indicando o Aragorn pro Legolas (e quando ele falou 'um jovem guardião' eu pensei 'nah, só para a contagem élfica', mas então eu parei pra pensar e realmente, nessa época, o Aragorn tinha aproximadamente uns 27 anos. Novo de verdade)? Até com a trilha sonora dele... ah! Falando em trilha sonora, a desse filme é (eu já usei a palavra 'perfeita' tantas vezes nesse post, mas não tem outra que descreva, então) perfeita!
Acho que é isso, devo ter esquecido de comentar milhares de coisas, mas é mais ou menos isso. Minhas maiores indignações dessa vez ficaram por conta de comentários idiotas de pessoas que supostamente conhecem a obra de Tolkien. Sério. Foram comentários inacreditáveis... de chorar (literalmente) de raiva (sim, eu choro fácil, e daí?).
Uma última observação: a menos que eu tenha perdido alguma coisa, o PJ quebrou a tradição de dizer o nome dos filmes nos filmes. An Expected Journey não tem e nem The Battle of the Five Armies. Hum... é isso. A questão é que tá acabando... mas eu ainda não quero pensar nisso.
"Because it was real." :(